terça-feira, 13 de outubro de 2009

MIL ILHAS

Uma viagem entre Toronto e Otawa, por rodovia, tem quatrocentos quilômetros em estrada de duas pistas, praticamente uma reta só, equivalente a distancia entre Rio e São Paulo.

A meio caminho encontra-se Gananoque, uma cidade à beira do Rio São Lourenço, onde se pode pegar um barco para passear entre algumas das chamadas “mil ilhas” que se espalham ao longo do rio. Ao chegarmos ao embarcadouro ainda pudemos ver desencostar do pier, lentamente, aquele que seria o nosso lindo passeio. Chovia pra nenhum agricultor botar defeito.

Fomos então agraciados com a informação que haveria outra partida, uma hora mais tarde, e assim poderíamos ainda almoçar antes do próximo passeio. Que alívio!

Foi um giro rápido de apenas sessenta minutos, mas o suficiente para curtir o início das cores do outono canadense. As pequenas ilhas, cada uma com uma casa bem cuidada, formam como que um grande condomínio aquático ajardinado com espécies vegetais, cujas folhas, principalmente de “maples”, nesta época do ano adquirem tonalidades que enchem os olhos.


A navegação pelo rio São Lourenço que, em um certo trecho, delimita a fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos, nos pareceu programa turístico pra lá de metro. Só tomamos um pequeno aperitivo, mas o suficiente para perceber que se trata de área de beleza natural privilegiada e com muitas casas para veraneio sofisticadas.